Autocrítica provoca danos no Corpo e Mente

A autocrítica está fortemente associada a um sentimento primordial de não ser “suficientemente bom”, gerando sentimentos de inferioridade, indignidade, fracasso e culpa. Podem ser julgamentos das suas habilidades, inteligência, aparência física e até mesmo dos seus pensamentos ou sentimentos.

Abaixo alguns exemplos de diálogo interno expressos por indivíduos atormentados devido ao hábito de serem autocríticos:

  • Eu sou tão estúpido!
  • Eu sou um fracasso.
  • Eu sou tão feio.
  • Eu sou tão fraco.
  • Eu não consigo fazer nada certo!

A autocrítica e os sentimentos associados podem ser desencadeados por um acontecimento específico e consequente reação, que leva a uma enxurrada de reflexões desse tipo. Por exemplo, quando confrontados com a frustração sobre a montagem de mobília por módulos, um indivíduo propenso à autocrítica pode concluir rapidamente: “Sou tão burro” ou “não sou capaz fazer coisas de homem”. Da mesma forma, uma pessoa pode observar a expressão facial de outra pessoa em uma reunião e rapidamente tornar-se oprimida por se sentir indesejável.

A autocrítica direciona nossa atenção para dentro e inibe a nossa capacidade de estar totalmente presente e assertivamente engajados nas nossas vidas.

Há muitos recursos disponíveis na forma de livros, vídeos e sites dedicados a apoiar uma autocrítica saudável versus destrutiva. No entanto, envolver-se no trabalho essencial para superar a autocrítica também pode exigir aconselhamento ou psicoterapia.

Em caso de dúvidas podemos conversar e ver o que seria mais indicado para você. Deixe seu comentário ou se preferir mande uma mensagem em nosso email.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *